Arquivo da tag: coração

O amor (Juan Andrés Leiwir)

O amor é uma gota de orvalho pousando em uma pétala de rosa, uma gota intermitente afogando-se no mar do esquecimento, um suspiro esperando ser correspondido, uma lágrima acariciando o rosto de quem amas, é um grito esperando ser escutado, … Continue lendo

Publicado em Juan Andrés Leiwir | Com a tag , , | Deixar um comentário

Se vou te perder (Gloria Estefan)

Pela última vez, temos que falar. Melhor que seja já, pois minha coragem pode me faltar. Por mais que tentasse, não te pude mudar. Tu que me entendes bem…saberás… que a ti, nada te quero ocultar. Porém tenho que ser, … Continue lendo

Publicado em Gloria Estefan | Com a tag , , | Deixar um comentário

Palavras a um habitante de Marte (Alfonsina Storni)

Será verdade que existes sobre o vermelho planeta, que, como eu, possuis finas mãos prêensíveis, boca para o riso, coração de poeta, e uma alma administrada pelos nervos sutis? Mas no teu mundo, acaso, se erguem as cidades como sepulcros … Continue lendo

Publicado em Alfonsina Storni | Com a tag , , | Deixar um comentário

A minha Josefina (Miguel Hernández)

Tuas cartas são um vinho que me transtorna e são o único alimento para meu coração. Desde que estou ausente não sei senão sonhar, igual que o mar teu corpo, amargo igual que o mar. Tuas cartas apaziguo metido em … Continue lendo

Publicado em Miguel Hernández | Com a tag , , | Deixar um comentário

Sinceramente teu (Joan Manuel Serrat)

Não escolhas só uma parte Toma-me como me dou, inteiro e tal como sou, não vás a equivocar-te. Sou sinceramente teu porém não quero, meu amor, ir de visita por tua vida, vestido para a ocasião. Preferiria com o tempo … Continue lendo

Publicado em Joan Manuel Serrat | Com a tag , , , | 1 comentário

Coração couraça (Mario Benedetti)

Porque te tenho e não porque te penso porque a noite está de olhos abertos porque a noite passa e digo amor porque vieste a recolher tua imagem porque és melhor que todas tuas imagens porque és linda desde o … Continue lendo

Publicado em Mario Benedetti | Com a tag , , | 1 comentário

Tu que nunca serás (Alfonsina Storni)

Sábado foi e caprichoso o beijo dado, Capricho de varão, audaz e fino Mas foi doce o capricho masculino A este meu coração, lobinho alado. Não é que creia, não creio, se inclinado sobre minhas mãos te senti divino E … Continue lendo

Publicado em Alfonsina Storni | Com a tag , , | Deixar um comentário