O tempo meus amigos (José Luis Appleyard)

Saber que os amigos não necessitam de tempo,
saber que são os mesmos
e todavia alheios
àqueles que o foram
quando os anos nossos
nos brindaram sua essência
do “companheiro eterno”.

Porém voltam, persistem
e são tempo e castigo:
a idade não diferencia
a visão do amigo.
Minha idade, tua idade, a sua
não são marcas brutais
que separam os meus

O tempo
-novamente me enfrento com o tempo-
é uma forma doce
da constante lembrança.

Saber que os amigos
são de minha voz o templo.
Saber que eles comigo
Ajudam-me ao eterno.

E então, cada dia
se volta ao princípio
de saber que um amigo
é uma voz sem tempo.

(Tradução de Maria Teresa Almeida Pina)

El tiempo, mis amigos
José Luís Appleyard

Saber que los amigos no necesitan tiempo
saber que son los mismos
y sin embargo ajenos
a aquéllos que lo fueran
cuando los años nuestros
nos brindaran su esencia
del ” compañero eterno ”

Pero vuelven, persisten
y son tiempo y castigo:
la edad no diferencia
la visión del amigo
Mi edad, tu edad, la suya
no son hitos brutales
que separan los míos

El tiempo
-nuevamente me enfrento con el tiempo-
es una forma dulce
del constante recuerdo

Saber que los amigos
son de mi voz el templo
Saber que ellos conmigo
me ayudan a lo eterno

Y entonces, cada día
se vuelve hacia el principio
de saber que un amigo
es una voz sin tiempo

Sobre Maria Teresa Pina

Nasci em 27 de dezembro de 1962, em São Paulo, e me formei bibliotecária em 1983 pela Escola de Sociologia e Política - Faculdade de Biblioteconomia de São Paulo. Apesar de não exercer mais a profissão, nunca perdi o interesse pela pesquisa/informação e pelos meios de comunicação.
Esta entrada foi publicada em José Luis Appleyard e marcada com a tag , , . Adicione o link permanente aos seus favoritos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *