Patrícia Melo – Acqua Toffana

Acqua toffana é um veneno da Renascença. É líquido, transparente, sem sabor e sem cheiro, mas uma gota por semana faz a pessoa morrer em dois anos. A explicação está no livro de estréia de Patrícia Melo, lançado em 1994, que ganhou justamente o nome da poção mortífera.

Nele, duas novelas desenrolam-se como o itinerário caprichoso da morte lenta, planejada como uma arte ou desenhada como delírio.

No labirinto narrativo deste livro nada é o que parece ser. O ritmo ágil da prosa de Patrícia, entrecortado e construído em primeira pessoa, ludibria o leitor, fazendo cair uma cortina atrás da outra, e revelando uma natureza sombria na qual o impulso assassino fica entre a patologia e a luxúria.

Na primeira história, a protagonista tenta convencer um delegado de que seu marido é o assassino que estuprou e estrangulou várias mulheres no bairro paulistano da Lapa. Na segunda, o metódico funcionário de um cartório passa a ser atormentado pela presença de uma vizinha, e desenvolve um plano para matá-la.

Em ambas, desfilam tipos tão banais quanto esquisitos. Em contraste com psicopatas, sádicos e maníacos, há a senhorinha de cabelo acaju, a vizinha que irrita o protagonista com seus chinelos de pano e suas unhas lascadas; e a onipresença de uma tela de TV, vomitando sinopses de filmes e noticiários sensacionalistas.

Mas há, sobretudo, o elemento-surpresa: aquele que atribui ainda mais requinte ao já sofisticado universo de assassinos quase que por acaso.

 

“Outras Palavras” é o programa de literatura de Levi Bucalem Ferrari na Rádio Cultura Brasil.

Sobre levi

Poeta, ficcionista, ensaísta, sociólogo e professor universitário. Presidente da UBE - União Brasileira de Escritores, diretor do Sindicato dos Sociólogos de S. Paulo e Presidente do IPSO - Instituto de Pesquisas e Projetos Sociais e Tecnológicos. Integra a Coordenação do Movimento Humanismo e Democracia e o Conselho de Redação da Revista Novos Rumos. Foi Presidente da ASESP – Associação dos Sociólogos do Estado de São Paulo, Administrador Regional de Santana -Tucuruvi (SP). Coordenador da Proteção dos Recursos Naturais do Estado de São Paulo. Livros Publicados: Burocratas e Burocracias (ensaio, SP, Ed. Semente, 1981); Ônibus 307 – Jardim Paraíso (poesia, SP, Muro das Artes, 1983); A Portovelhaca e as Outras (poesia, SP, Paubrasil, 1984). O Seqüestro do Senhor Empresário (romance, SP, Publisher/Limiar, 1998); O Inimigo (contos, Limiar – SP, 2003). Recebeu o Prêmio de Revelação de Autor da APCA – Associação Paulista de Críticos de Arte e outros. Publicou diversos artigos, contos, crônicas, poemas e resenhas literárias em coletâneas, jornais e revistas.
Esta entrada foi publicada em ESTANTE e marcada com a tag , , , , , , , , . Adicione o link permanente aos seus favoritos.

1 Response to Patrícia Melo – Acqua Toffana

  1. la martina disse:

    I organize this despatch to be deeply useful. I am using it in a gazette I am article at college.

    La Martina

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.