OS DRAGÕES NÃO CONHECEM O PARAÍSO

Caio Fernando Abreu
Cia. das Letras

O autor deste livro, o gaúcho Caio Fernando Abreu, foi chamado por Lygia Fagundes Telles de escritor da paixão.

O livro reúne treze contos girando todos em torno do mesmo tema – o amor.

Amor e sexo, amor e morte, amor e abandono, amor e alegria, amor e memória, amor e medo, amor e loucura são alguns de seus desdobramentos nestas histórias.

Eles formam uma espécie de retrato interior do Brasil de hoje. Retrato denso e tirado à beira do abismo. Retrato tirado por um mestre na arte de escrever.

Estamos falando do livro de contos Os dragões não conhecem o paraíso, de Caio Fernando de Abreu, publicado pela COMPANHIA DAS LETRAS.


“Outras Palavras”, programa de literatura de Levi Bucalem Ferrari na Rádio Cultura Brasil.

Sobre levi

Poeta, ficcionista, ensaísta, sociólogo e professor universitário. Presidente da UBE - União Brasileira de Escritores, diretor do Sindicato dos Sociólogos de S. Paulo e Presidente do IPSO - Instituto de Pesquisas e Projetos Sociais e Tecnológicos. Integra a Coordenação do Movimento Humanismo e Democracia e o Conselho de Redação da Revista Novos Rumos. Foi Presidente da ASESP – Associação dos Sociólogos do Estado de São Paulo, Administrador Regional de Santana -Tucuruvi (SP). Coordenador da Proteção dos Recursos Naturais do Estado de São Paulo. Livros Publicados: Burocratas e Burocracias (ensaio, SP, Ed. Semente, 1981); Ônibus 307 – Jardim Paraíso (poesia, SP, Muro das Artes, 1983); A Portovelhaca e as Outras (poesia, SP, Paubrasil, 1984). O Seqüestro do Senhor Empresário (romance, SP, Publisher/Limiar, 1998); O Inimigo (contos, Limiar – SP, 2003). Recebeu o Prêmio de Revelação de Autor da APCA – Associação Paulista de Críticos de Arte e outros. Publicou diversos artigos, contos, crônicas, poemas e resenhas literárias em coletâneas, jornais e revistas.
Esta entrada foi publicada em ESTANTE e marcada com a tag , , , , , . Adicione o link permanente aos seus favoritos.

1 Response to OS DRAGÕES NÃO CONHECEM O PARAÍSO

  1. Samuel Guimarães Vieira disse:

    Olá amigos deste blog; quero deixar aqui, algumas passagens Bíblicas, sobre “dragão” na Bíblia, e vamos começar primeiramente, lá no fim do Apocalipse: Ele segurou o dragão, a antiga serpente, que é o diabo, satanás, e o prendeu por mil anos Apocalipse 20:2 podemos ver, que este texto faz referencia á vários nomes dados a satanás e um dos principais, nome é dragão. Nos tempos antigos, parece que este animal, que simboliza, satanás, “dragão” era um animal feroz e muito rápido, pois Jó fala o seguinte: Pelo seu sopro aclara os céus, a sua mão fere o dragão veloz. Jó 26:13 parece tratar-se de um animal temível; nos dias de hoje, existem animais, que se chamam de dragão, ou dragão de comodo, a respeito deste dragão de comodo, não tenho muita certeza, me parece que fica em uma ilha do pacífico; bem, este animal é muito perigoso
    pois é um animal relativamente grande e muito ágil e se alguém for simplesmente arranhado por um de seus dentes, certamente morrerá por algum infecção terrível, se não procurar imediatamente tratar-se com medicamentos adequados.
    A realidade é que a Bíblia, referes-se à satanás, como um inimigo muitíssimo perigoso
    do qual, devemos ter muito cuidado, pois é enganador e traiçoeiro. Em Gênesis 3:1a5 diz: Mas a serpente, mais sagaz que todos os animais selváticos que o SENHOR Deus tinha feito, disse à mulher: É assim que Deus disse: Não comereis de toda árvore do jardim? Respondeu-lhe a mulher: do fruto das arvores do jardim podemos comer, mas do fruto da árvore que está no meio do jardim, disse Deus: Dele não comereis, nem tocareis nele, para que não morrais.
    Então a serpente disse a mulher: É certo que não morrereis. Porque Deus sabe que no dia em que dele comerdes se vos abrirão os vossos olhos e, como Deus, sereis conhecedores do bem e do mal.
    Muitas pessoas nos dias de hoje, ainda estão crendo nesta mentira de satanás, quando dizem que não morrem, mas reencarnam, como creem os espíritas. Ezequiel 18:20 diz: A alma que pecar, esta morrerá. E Romanos 3:23 diz: pois todos pecaram e carecem da glória de Deus. Na parábola, o Rico e Lazaro o mendigo, Jesus usou esta metáfora, que observando-se alguns detalhes, se torna bem interessante, quando o rico, que agora está no inferno, diz: Pai Abraão eu te imploro que mandes Lazaro à minha casa paterna, porque tenho cinco irmãos; para que lhes dê testemunho, a fim de não virem também para este lugar de tormento. Respondeu Abraão: Eles tem Moisés e os profetas; ouçam-nos. Mas ele insistiu: Não, pai Abraão; se alguém dentre os mortos for ter com eles, arrepender-se-ão. Abraão, porém, lhe respondeu: Se não ouvem a Moisés e aos profetas, tampouco se deixarão persuadir, ainda que RESSUSCITE alguém dentre os mortos.
    A palavra de Deus, é sempre muito perfeita. Aquele que, metaforicamente, estava no inferno, diz: mande um dentre os mortos, porem, aquele que estava no céu diz: ainda que ressuscite alguém dentre os mortos. Percebes-e que o que estava no inferno dizia: mande um dentre os mortos, porem o que estava no céu, dizia: ainda que RESSUSCITE alguém dentre os mortos. O dragão, faz uso de grande poder de engano, e é muito perigoso.
    Consulte: Lucas 16:19a31 e http://www.esperanca.com.br
    Fique com Deus.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.