MÁRIO DE ANDRADE

Mário de Andrade é um dos principais ícones da cultura paulista. Poeta, romancista, cronista, músico, folclorista, crítico de artes, não havia qualquer manifestação que não lhe interessasse. Foi um dos principais articuladores da famosa Semana da Arte Moderna em 1922, sendo seu nome o mais lembrado.

Também foi diretor do Departamento de Cultura do Município de São Paulo. E destacou-se tanto na pesquisa, como na divulgação das artes, fundando casas de cultura, bibliotecas, discoteca e até parques infantis. Artista e cidadão muito ativo, Mário participou da fundação da Sociedade Brasileira de Escritores – hoje UBE – e foi seu primeiro vice-presidente, Sérgio Milliet.

Sua obra tem uma característica curiosa: os títulos de duas delas ficaram mais conhecidos do que o próprio autor. É o caso do romance Macunaíma e do livro de poemas Paulicéia Desvairada. Certamente vocês já ouviram falar em um desses nomes. Pois bem, está na hora de ler.

Para quem gosta de poesia – Paulicéia Desvairada, Café e Lira Paulistana. Para quem prefere prosa, divirta-se com Macunaíma ou Amar, verbo intransitivo. O melhor é ler tudo, vale a pena.

Ouça aqui o programa:

[audio:http://blogs.utopia.org.br/levi/files/outraspalavras_008-mario-de-andrade.mp3]
“Outras Palavras” é o programa de literatura de Levi Bucalem Ferrari na Rádio Cultura Brasil.

Sobre levi

Poeta, ficcionista, ensaísta, sociólogo e professor universitário. Presidente da UBE - União Brasileira de Escritores, diretor do Sindicato dos Sociólogos de S. Paulo e Presidente do IPSO - Instituto de Pesquisas e Projetos Sociais e Tecnológicos. Integra a Coordenação do Movimento Humanismo e Democracia e o Conselho de Redação da Revista Novos Rumos. Foi Presidente da ASESP – Associação dos Sociólogos do Estado de São Paulo, Administrador Regional de Santana -Tucuruvi (SP). Coordenador da Proteção dos Recursos Naturais do Estado de São Paulo. Livros Publicados: Burocratas e Burocracias (ensaio, SP, Ed. Semente, 1981); Ônibus 307 – Jardim Paraíso (poesia, SP, Muro das Artes, 1983); A Portovelhaca e as Outras (poesia, SP, Paubrasil, 1984). O Seqüestro do Senhor Empresário (romance, SP, Publisher/Limiar, 1998); O Inimigo (contos, Limiar – SP, 2003). Recebeu o Prêmio de Revelação de Autor da APCA – Associação Paulista de Críticos de Arte e outros. Publicou diversos artigos, contos, crônicas, poemas e resenhas literárias em coletâneas, jornais e revistas.
Esta entrada foi publicada em ESTANTE e marcada com a tag , , , , , , , , , , , , , . Adicione o link permanente aos seus favoritos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.