Falando de sonhos e de outras coisas concretas

Discurso de Rosemberg Cariry na abertura do 8º CBC

Antes de tudo, agradeço do fundo do meu coração a presença de cada um de vocês, pois nela vislumbro um ato simbólico que aponta o cinema e o audiovisual como potências em movimento, como forças vivas e transformadoras, que poderão colocar o Brasil, nas próximas décadas, no papel de agente positivo e transformador no imaginário do mundo. Muitos de nós aqui presentes encarnamos percursos já longos de ricas e múltiplas experiências de vida, trabalho e criação. Mas, a maioria dos que aqui estão são jovens, flexíveis e viçosos como os caniços que se curvam ao vento e se debruçam nas margens dos rios para beber da fonte renovadora da vida. Jovens que sabem que estes mesmos rios, pacientemente, cortam montanhas e desfazem a solidez das rochas, em busca do mar, porque todo rio nasce destinado ao mar.

As palavras que aqui pronuncio não pretendem ser palavras de todo o povo do cinema. São palavras neste instante minhas que almejo oferecer ao coração e à boca do povo do cinema que somos e representamos, para com ele quem sabe reinventar o sonho. Acredito que tudo nos une neste congresso, porque me parece ser impossível separar os seres humanos quando eles sonham juntos.
Veja o discurso de Rosemberg Cariry na íntegra

Esta entrada foi publicada em Artigos. Adicione o link permanente aos seus favoritos.

1 Response to Falando de sonhos e de outras coisas concretas

  1. Carlos Seabra disse:

    Sucesso aos trabalhos do 8º Congresso e que todos os sonhos se encaminhem para a concretização!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *