Caviar Uruguaio!

No Uruguai, a nova estrela gastronômica para exportação agora é o caviar, iguaria advinda da ova do esturjão, que coloca o nosso pequeno vizinho como produtor com reconhecimento internacional de qualidade.

fresh caviar

A 1,5 tonelada processada anualmente pelo Uruguai está sob controle da Esturiones del Río Negro, empresa que comercializa tanto o esturjão quanto suas ovas sob o selo Black River Sturgeons. A companhia se concentra na criação de peixes que produzem o caviar osetra da vertente “malossol”.

É um empreendimento nascido do contato de um empresário de pesca local com empreendedores suíços, descendentes de russos, os irmãos Zwyer. “Foi uma decisão tomada em parte com lógica, em parte com loucura”, descreve um dos diretores da empresa, Javier Alcalde, referindo-se ao investimento, então de US$ 4,5 milhões.

Esturiones

A empresa Esturiones del Río Negro, cria esturjões em uma fazenda na cidade de Durazno, no interior do Uruguai, a 270 quilômetros de Montevidéu. As águas limpas e frias do rio Negro e a temperatura estável durante o ano todo da região fazem do local o habitat perfeito para a reprodução do peixe.

A primeira providência foi estabelecer rigorosos critérios de seleção para as ovas que levam sua marca. Na fazenda uruguaia, os peixes são pesados e checados um a um e só então as ovas são extraídas, num processo muito rápido, de cerca de 15 minutos, o qual é essencial para manter a qualidade do caviar. Depois as ovas são lavadas com água mineral trazida da Patagônia e temperadas com sal proveniente da região do Algarve, em Portugal. “Somos os únicos produtores do mundo a utilizar sal marinho no caviar. Ele dá um sabor especial e inovador”, afirma Roger Zwyer. O caviar é embalado no Uruguai e a distribuição é feita da sede da empresa, em Teufen, nos arredores de Zurique.

Com menos de um ano de mercado, os produtos da ZwyerCaviar já são vendidos na Suíça, nos Estados Unidos, na Arábia Saudita e na África do Sul. Com uma estratégia de marketing agressiva, o ZwyerCaviar acaba de ser escolhido a melhor nova marca de luxo na premiação European Luxury Award, concurso organizado com a colaboração do The Wall Street Journal. Em testes cegos com chefs (nos quais a marca não é revelada), o novo produto tem tirado notas superiores aos similares iranianos.

FONTE: Suzana Camargo, Revista Exame.

Viajar para o Uruguai

Viajamos muitas vezes pela Pluna. Gosto de prestigiar empresas locais, os aviões são novos e eles são muito pontuais. Mas desisti…

Aconteceu um incidente em abril que foi a gota d´água: estávamos em 5 pessoas, com reserva de volta confirmada há duas semanas e, ao fazer o check-in, o atendente verificou nossas reservas e nos perguntou se aceitaríamos US$ 150,00 cada um pra viajarmos no dia seguinte. Estavam com overbooking.

Não aceitamos e o atendente voltou a nos questionar em tom ameaçador: Têm certeza? Mesmo?

Então, nos deixaram de lado, esperando por 15 minutos pra nos informar que não tínhamos reservas nesse avião. Falamos com a chefe que nos destratou em público. Tive que incomodar meu agente de viagens no domingo à noite, falei com ele várias vezes (chamadas internacionais) até que ele pudesse contatar o agente da Pluna no Brasil e resolver o problema. Levou mais uma hora e meia. Nos últimos minutos do embarque a coisa se resolveu graças ao meu agente, e ainda aproveitaram pra nos estressar um pouco mais cobrando 3 quilos de excesso de bagagem (média de 0,6 kg por pessoa).

A Pluna agora também cobra os lanches no avião e te oferece somente um salgadinho frito, gorduroso e salgado, pra te deixar louco por uma bebida, paga, é claro. Têm um cardápio variado, mas pouca quantidade de cada item. Quando chegam ao final do avião, só restam os lanches que ninguém quis. Daqui a pouco estarão cobrando a ida ao banheiro!

Além disso, se você não fizer o check-in via internet, paga US$ 20 pra despachar a mala.

Existem vôos diretos pela Tam. A Gol também vai pra Montevidéu, mas faz escala em Porto Alegre.

“Uruguay, mi tierra” por Eduardo Galeano

Filme produzido pela Televisão Espanhola em 2004, parte da série “Ésta es mi tierra”, aqui dividido em quatro partes.

“Três milhões de anarquistas conservadores: não gostamos que ninguém mande em nós e custa-nos mudar.” (E. Galeano).

httpv://www.youtube.com/watch?v=UXh-AN3cgL4 “Uruguay, mi tierra” parte 1/4.

httpv://www.youtube.com/watch?v=nCipLE532Ec “Uruguay, mi tierra” parte 2/4.

httpv://www.youtube.com/watch?v=IxLoc3g4wQ4 “Uruguay, mi tierra” parte 3/4.

httpv://www.youtube.com/watch?v=5iZXZeutZAM “Uruguay, mi tierra” parte 4/4.

Comer e beber

Churrasqueira típica uruguaia (Restaurante El Palenque)

Carnes e vinhos resumem a excelência local. As carnes, tanto de boi, vitela, ou cordeiro, são especiais, e eles também sabem assá-las na brasa muito bem! Os “asados” uruguaios são feitos com lenha, que é queimada numa lateral da churrasqueira, produzindo a brasa que será transferida para debaixo da grelha onde serão assadas as carnes.

O Uruguai produz vinhos divinos e accessíveis (95 milhões de litros produzidos ali anualmente). É hoje o principal reduto da uva Tannat, originária da França, de sabor forte, que acompanha muito bem qualquer carne.

Os produtos agrícolas são outra alegria para o paladar. Frutas, legumes e verduras têm sabores marcantes. Os laticínios e seus derivados também se destacam pela qualidade.

O que faz falta? Mais elaboração na combinação desses produtos básicos fantásticos. O Uruguai ainda tem um longo caminho a percorrer em termos gastronômicos: os restaurantes oferecem cardápios muito semelhantes, pratos sem criatividade, e com uma apresentação pobre.

Punta del Este

Vista aérea de Punta

É a cidade de veraneio em que todos pensam quando se fala do Uruguai. Fica a umas duas horas de Montevidéu, subindo a costa em direção ao Brasil. Fervilha no verão. Em janeiro há um grande afluxo de brasileiros, uruguaios e argentinos, sendo que muitos destes últimos têm casa ou apartamento na cidade. Inúmeros imóveis são disponibilizados para locação. Os preços, nesse período, podem variar de 2 mil dólares por um apêzinho a 40 mil dólares ou mais por uma mansão. Em fevereiro os aluguéis caem pois há menos procura apesar de ainda estarem em férias por ali. Quase todos os apartamentos incluem serviço de limpeza.

Conheci Adriana Fenoglio, uma corretora muito profissional, além de uma pessoa maravilhosa, que ajuda os interessados a encontrar um imóvel conforme o seu perfil e desejo.

Muitos aposentados europeus e americanos fazem de Punta del Este o seu refúgio. No inverno, costumam fugir do frio indo visitar as famílias que vivem no hemisfério norte onde é verão.

O balneário também é muito conhecido porque “famosos” vêm se exibir na época do Reveillon quando acontecem festas nababescas que eletrizam a atenção dos simples mortais.

Punta del Este tem este nome por estar localizada numa ponta de terra que divide o deságue do Rio de la Plata por um lado, e o Oceano Atlântico do outro. O lado do oceano é chamado de Praia Brava e é mais freqüentado pelos argentinos e por jovens, e a Mansa é preferida por brasileiros e famílias.

A cidade é a mais cara do Uruguai, principalmente nas férias. Restaurantes, táxis, hotéis, lojas de grife. Mas os preços no supermercado são equivalentes aos do Brasil, e muitos produtos importados são mais baratos. O Uruguai sendo basicamente um país voltado para a produção pecuária e agrícola, necessita da importação de produtos industrializados e os impostos para estes são mais baixos.

As praias se estendem por quilômetros e sempre se consegue um lugar calmo para ficar, mesmo em alta temporada, então há para todos os gostos, da badalação à tranquilidade. Há muitos passeios a fazer, e atividades para todas as idades. À noite, a cidade é animada até o amanhecer, gente nas ruas, restaurantes e baladas.

A segurança é uma das vantagens mais importantes, apesar de nos últimos anos terem registrado um número crescente (se bem que ainda insignificante, comparado às nossas estatísticas) de roubos a casas.

O Carnaval mais longo do mundo

Murga Falta Y Resto

No Uruguai o Carnaval se estende por mais de um mês com desfiles e manifestações em palcos de rua chamados “tablados” onde se apresentam as murgas, um gênero teatral-musical que consiste em um coro de umas 13 a 17 pessoas que entoa canções e apresenta quadros musicados (com personagens e argumento) onde a temática principal aborda os acontecimentos importantes do ano, com crítica política e social. As roupas dos integrantes lembram pierrôs. Centenas de pessoas colocam sangue e suor esperando que o seu grupo vença a competição que mexe com todo o país. A herança africana se faz presente no Candombe um ritmo tocado em tambores próprios, fruto do acervo ancestral africano da raiz Bantú trazidos pelos negros chegados ao Rio de la Plata.

Veja programação e fotos em: www.carnavaluruguay.com

Rio dos Pássaros

O nome Uruguai vem do Guarani e significa “Rio dos Pássaros”.
Outro possível significado da palavra uruguai pode ser: Uru: fundo, profundo – Gua: água – I: rio. Rio de águas profundas.

Ao sul, o país é banhado pelo Rio de La Plata e pelo Oceano Atlântico. A fronteira com a Argentina é marcada pelo rio Uruguai.


Punta del Este, janeiro de 2009

Leia aqui uma lenda gaúcha que conta o nascimento do Rio Uruguai.

Nosso pequeno vizinho

O Uruguai é um pequeno país situado ao sul do Brasil, na fronteira com o Rio Grande do Sul. Possui uma população de uns três milhões de habitantes, sendo que a metade vive na capital, Montevidéu, e o restante se distribui em seus 176.220 km².

Fala-se castelhano e a maioria são descendentes de espanhóis ou italianos. É um país com grandes áreas agrícolas e pecuárias, florestas e boas praias, apesar de um pouco frias para nós, brasileiros. As quatro estações são bem marcadas, com temperaturas que vão de zero graus celcius no inverno a 35 graus no verão.

» Mapa do Uruguai