Rosalía de Castro

Em 24 de Fevereiro de 1837, nasce Rosalía em Santiago de Compostela, numa casa do Caminho Novo, na esquina da estrada para Conjo (hoje, Avenida de Vilagarcia, nº1). Batizada no Hospital Real com os nomes de Maria Rosalía Rita e, segundo a certidão de nascimento, “filha de pais incógnitos”, tendo como sua madrinha Maria Fonseca Martinez, residente em São João do Campo”.

Vive seus primeiros anos com a ama e madrinha em Castro Orduño (Vale de Amaya)

1848 – Em Santiago. Lê os seus primeiros versos no Liceu da Juventude, instalado no Convento de Santo Agostinho.

1852 – Apaixona-se por Aurélio Aguirre, poeta romântico, o “Espronceda galego”, amigo de Manuel Murgia. Posteriormente, amores de Rosalía em Padron com pessoa desconhecida

1853 – Amizade com Eduarda Pondal, irmã do escritor Eduardo Pondal. Vão juntas à festa de Nossa Senhora da Barca em Muxia (Corunha) e adoecem com tifo. Eduarda morre.

1856 – 2 de Março – Banquete de confraternização entre operários e estudantes, presidido por Aurelio Aguirre, em Conjo.

Abril – Vai para Madrid viver com sua tia Carmen Lugin, mãe do romancista Alejandro Perez Lugin, na Calle de la Ballesta, nº 13.

1857 – Publica La Flor , poemas, onde se apercebe a marca do seu amor por Aurelio Aguirre. Amizade com Eduardo Chao, Eulogio Florentino Saez (tradutor de H. Heine) e Ventura Ruiz Aguilera.

Maio – Conhece Manuel Murgia, amigo de Aurelio Aguirre que morre na Corunha, aos vinte e quatro anos.

1858 – Edita Lieders, no Album del Niño, em Vigo.

10 de Outubro – Casa-se em Madrid, na Igreja de Santo Ildefonso, com Manuel Murgia, historiador, romancista e poeta.

1859 – Publica La Hija del Mar, novela.

12 de Maio – Nasce em Santiago a sua primeira filha, Alejandra.

1861 – Publica Flavio “ensaio de novela”, em Madrid.

1862 – Edita-se na Corunha um Album de la Caridad, com poemas de autores galegos. Falecimento da mãe de Rosalía.

1863 – Edita A Mi Madre e Cantares Gallegos, ambos em Vigo

1864 – Agosto – Um artigo de Rosalía , “El Codío” cujo original se perdeu, irrita, antes mesmo da sua publicação, os seminaristas de Lugo, que irrompem na sede de EL Almanaque de Galícia, fazendo-o em destroços.

1866 – Edita Ruinas, narrativa , em El Museo Universal, de Madrid. E, El Cadiceño, em Lugo.

1867 – Publica El Caballero de las Botas Azules, “conto estranho”, em Lugo.

1868 – Setembro – Após a chamada “Revolução de Setembro”, seu marido, Manuel Murgia é nomeado Chefe do Arquivo de Simancas. A vida do casal decorre entre Madrid e Simancas.

1868 – 7 de Dezembro, nasce-lhe a segunda filha, Aura, em Santiago.

1871 – Dá à luz, em Torres de Lestrove, dois gémeos: Gala e Ovídeo. Murgia é nomeado Chefe do Arquivo Regional da Galiza. A partir deste ano , Rosalía não volta a sair da Galiza.

1872 – Sai em Madrid a segunda edição de Cantares Gallegos.

1873 – Nasce na Corunha sua filha Amara.

1875 – Em Santiago de Compostela, nasce o filho Adriano Honorato Alejandro, que vem a falecer passado ano e meio.

1877 – Dá à luz uma nati-morta, Valentina.

1879 a 1882 – Reside em Torres de Lestrove. O marido dirige, em Madrid, La Ilustracion Gallega y Asturiana.

1880 – Edição em Madrid de Follas Novas.

1881 – Publica, em Madrid, El Primer Loco, outro “conto estranho” reflexo dos seus amores com Aurelio Aguirre. Edita ainda “Padron y las inundaciones”, na Ilustracion Gallega y Asturiana.

1884 – Publicação, em Madrid, de En Las Orillas del Sar, (“Nas Margens do Sar”).

1885 – 15 de Julho – Rosalía morre em Iria Flavia, na “Casa de la Mataza”, vítima de cancer no útero. Cumprindo a sua última vontade, as filhas queimam os seus trabalhos inéditos. É enterrada no Cemitério de Adina.

1895 – 25 de Maio – Os seus restos mortais são transladados para Santiago, ficando numa capela da igreja de São Domingos, perto do cemitério do mesmo nome.

» Rosalía de Castro na Wikipédia

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *